METODOLOGIA

F.F | e-Stratégia Pública® desenvolveu o seguinte conjunto de metodologias, indicadores e índices, todos próprios, testados e aplicáveis às áreas de gestão e avaliação do setor público.

Marble Surface

“DOUBLE CLICK HERE OR CLICK EDIT TEXT TO ADD SOME POSITIVE FEEDBACK ABOUT YOUR SERVICES"

BINPS® Benefícios sobre Investimentos Públicos

Metodologia desenvolvida no pós-doutorado de Florencia Ferrer, na USP, que mensura e calcula a economia provocada pela inovação nas políticas publicas (incorporação de TI e ou desburocratização) reconhecida como melhor prática por organismos internacionais e vários governos.

Calculadora da Economia®

Site que publica o resultado da Metodologia BINPS®. O diferencial entre os processos é o índice que movimenta a calculadora, que informa quanto o Estado e o cidadão economizam graças à utilização dos novos processos.

IA e-Gov Índice de Aderência ao Governo Eletrônico

Este índice foi desenvolvido em um trabalho para a Corregedoria Geral da União, patrocinado pelo Governo Britânico. Ele parte da tese, segundo a qual, quanto maior o nível de desenvolvimento de e-Gov menor a chance de corrupção. O IA e-Gov demonstra o grau de eficiência e eletronificação de qualquer processo inerente à gestão pública. Partimos do raciocínio de que quanto maior o número de atividades desnecessárias, que não agreguem valor e que sejam feitas de forma manual, maior será a chance de erros, desvios e práticas de corrupção. O IA e-Gov explora positivamente esse conceito: uma análise processual, clara e objetiva por meio de uma mensuração fundamentada por estágios de GovernoEletrônico.

Indicadores de Uso de Poder de Compra de Estado de MPE

Este conjunto de indicadores que resulta em um índice tem como foco identificar a real situação da implementação da Lei Complementar 123/06 – Lei Geral das Micro e Pequenas Empresas – nos estados brasileiros, verificando se as ações regulamentadas estão efetivamente funcionando. Além de mensurar, este índice aponta as principais causas dos problemas, dando subsídios para construir estratégias de superação dos mesmos.

Marble Surface

Mensuração de Maturidade de Compras Públicas

Este índice foi desenvolvido com o foco de diagnosticar os principais aspectos das compras públicas e da gestão estratégica de suprimentos dos estados brasileiros. Foram estudadas as seguintes frentes: compras, contratos, convênios, patrimônio, frotas e potencial de cooperação.

Mensuração de Maturidade de e-Gov

Metodologia de avaliação dos serviços eletrônicos aplicada a governos subnacionais: proporciona um marco de referência válido para avaliar a concretização dos objetivos buscados pelos órgãos públicos na implementação dos serviços de Governo Eletrônico. Ela é usada como base para o desenvolvimento da estratégia de migração dos serviços avaliados, que orienta a elevação do nível de desenvolvimento de e-serviços, com foco na melhoria da qualidade do gasto publico e na eficácia e eficiência de sua entrega.

Metodologia de Orientação

de Melhoria da Qualidade do Gasto Público

Após identificar e classificar as principais famílias de produtos e serviços de despesa no setor público, desenvolvemos uma metodologia que permite diagnosticar as fontes de desperdício e orientar as principais ações de resolução. As principais frentes estudadas são: Suprimentos, TI, Serviços Gerais, Utilidade Pública (água e esgoto, energia elétrica), Transporte, Alimentação, Saúde e Telefonia.

Mensuração de Maturidade de Atendimento ao Cidadão

O foco é mensurar o estágio no qual um determinado estado se encontra em relação ao atendimento ao cidadão, partindo do atendimento tradicional para um modelo citizen-centric-oriented, com integração presencial e/ou virtual desses serviços. Para isto são considerados os seguintes aspectos: Tecnológicos (plataforma tecnológica, infraestrutura requerida); Organizacionais (formato organizacional, estrutura de BackOffice, regimes de emprego, associação aos processos de simplificação administrativa); Gestão da qualidade dos serviços (cartas de serviços, indicadores de qualidade e desempenho, compromissos de qualidade do serviço, pesquisa de satisfação, políticas de incentivo); Custos de operação, modelo de negócio e sustentabilidade; Marco legal e normativo de funcionamento.

BINPS® - BENEFÍCIOS SOBRE INVESTIMENTOS PÚBLICOS

Metodologia que mensura e calcula a economia provocada pela inovação nas políticas publicas (incorporação de TIC e ou desburocratização) reconhecida como melhor prática por organismos internacionais e vários governos.

Devido à inadequação do lucro, no governo e nas entidades do terceiro setor, como medida de resultado, um cálculo ROI não é o melhor conceito para medir os retornos adquiridos. Optamos por criar um novo conceito chamado Benefícios sobre Investimentos Públicos – BINPS® –, desenvolvido no pós-doutorado de Florencia Ferrer, na USP, que em uma análise semelhante à de custo - benefício, permite relacionar o investimento com os benefícios (incluindo as externalidades positivas), que podem ser uma redução de custos necessários para que o Estado produza algum serviço (incremento da eficiência) ou uma redução dos custos sociais.

BENEFÍCIOS:

• Conhecer custos ocultos envolvidos nos processos;
• Consolidação dos resultados obtidos Governo e Sociedade;
• Oportunidade de Melhoria de processos considerando analise estudada;
• Visibilidade dos benefícios trazidos pela Inovação Tecnológica.

calculadora
gráficos

COMPRAS PÚBLICAS

A Administração Pública é desafiada na busca da eficiência na execução das Políticas Públicas, que demandam recursos para custeio e investimentos. A racionalização no uso de recursos públicos passa pela gestão integrada envolvendo toda a cadeia de suprimento.

Não se trata de reduzir custo por meio do menor preço e sim, diante de uma Política de Compras e Contratações articuladora, realizar a melhor compra embasada em uma decisão dinâmica de agenda em governo!

Uma ação efetiva e estratégica para as Contratações Públicas é central para a eficiência da Administração Pública, políticas públicas e a prestação de serviços ao cidadão. Nenhuma delas pode ser realizada se não há despesas de custeio, isso vale tanto para as atividades-fim, como: Saúde, Educação, Segurança Pública, quanto para as atividades-meio, as mais propícias para serem transformadas por meio de mudanças profundas.

Na Administração Pública em geral existem oportunidades de redução do custeio sem perda da qualidade dos serviços prestados. Nesta linha é que apresentamos o estudo de novas Políticas de Compras enfatizando a Melhoria da Qualidade do Gasto Público. Em nossas pesquisas apontamos que as perdas na cadeia de suprimentos do setor público podem chegar a percentuais superiores a 40%. As compras públicas no Brasil representam cerca de 10% do PIB, e estão distribuídas na União, Estados e Municípios. É a segunda maior despesa dos estados e representa em média 25% dos orçamentos.

Existem grandes oportunidades de melhorias em todo o ciclo da cadeia de suprimento, desde o dimensionamento da demanda, racionalização do consumo, contratação de serviços de terceiros, bem como as compras voltadas à manutenção dos ativos mobiliários e a gestão da vida útil do ativos permanente.

 BENEFÍCIOS:
  • Planejamento Estratégico;

  • Incentivo à Economia Local;

  • Desenvolvimento das Micro e Pequenas Empresas;

  • Padronização das Contratações Públicas;

  • Redução de Desperdícios;

  • Melhor alocação dos Recursos Públicos.

MELHORIA DA QUALIDADE DO GASTO PÚBLICO

A experiência da F.F| e-Stratégia Pública indica a necessidade de uma mudança focada na articulação e na combinação de diferentes procedimentos a fim de se obter sucesso no projeto de Melhoria da Qualidade do Gasto Público.

O combate ao "desperdício" é a denominação que se aplica às oportunidades de redução de gastos, decorrentes de simples medidas orientadas a coibir preços abusivos e/ou o uso desmedido e desnecessário de algum recurso. Pode ser visto como uma primeira camada do conjunto de iniciativas a serem promovidas para a melhoria da gestão de suprimentos.

 

Entende-se como oportuno realizar uma varredura fina nos gastos a fim de aprimorar ainda mais os controles e práticas de gestão existentes. O combate ao desperdício, de modo geral, não demanda inovações, investimentos ou mudanças de processos de trabalhos. Requer sim que o gasto seja apenas bem feito. Para tanto, é crítica a ocorrência de três eixos de sustentação:

  • Estabelecimento de valores referenciais para identificação de sua ocorrência;

  • Implantação de ferramentas ou métodos de gestão que efetivamente o coíbam;

  • Mobilização/responsabilização dos atores envolvidos na correção desses desvios.

 

POR QUE UMA ESTRATÉGIA DE MELHORIA DA QUALIDADE DO GASTO PÚBLICO?

A Melhoria da Qualidade do Gasto Público permite não apenas dispor de maiores recursos genuínos, como também permite, ao cumprir com as metas e resultados que são exigidos da Administração Pública, seja ela: Administração Direta, Indireta, Autarquia, Fundação, Empresa Pública e Sociedade de Economia Mista.

Na Administração Pública em geral existem oportunidades de redução do custeio sem perda da qualidade dos serviços prestados. Em nossas pesquisas apontamos que as perdas na cadeia de suprimentos do setor público podem chegar a percentuais superiores a 40%. As compras públicas no Brasil representam cerca de 10% do PIB, e estão distribuídas na União, Estados e Municípios. É a segunda maior despesa dos estados e representa em média 25% dos orçamentos.

Considerando tal dimensão é fundamental a implementação de ações para aumento da eficácia e eficiência das Compras Públicas para gerar um aumento da capacidade de investimentos. A Administração Pública está sempre desafiada à buscar eficiência na execução das políticas públicas, que demandam recursos para custeio e investimentos.

Uma ação efetiva e estratégica nas Compras Públicas é central para a eficiência do Estado, de suas políticas públicas e suas atividades, nenhuma delas pode ser realizada se não realiza a compra. Isso vale tanto para as atividades-fim, como saúde, educação, segurança pública, quanto para as atividades-meio, as mais propícias para serem transformadas por meio de mudanças profundas.

Com isso se vê uma grandes oportunidades de melhorias em todo o ciclo da cadeia de suprimento, desde o dimensionamento da demanda, racionalização do consumo, contratação de serviços de terceiros, bem como as compras voltadas a manutenção dos ativos mobiliários e a gestão da vida útil do ativos permanente.


BENEFÍCIOS:
  • Combate ao desperdício;

  • Aumento da capacidade de investimento pela redução das despesas de custeio;

  • Transparência nas ações da Administração Pública.

Tráfego da cidade
Os dados de um teclado sensível ao toque

ÍNDICES E INDICADORES

Na gestão pública, os indicadores são instrumentos que contribuem para identificar e medir aspectos relacionados a um determinado fenômeno decorrente da ação ou da omissão do Estado, partindo do princípio de que não se gerencia o que não se mede.

A principal finalidade de um indicador é traduzir, de forma mensurável, um aspecto da realidade dada (situação social) ou construída (ação), de maneira a tornar operacional a sua observação e avaliação.

Ajudamos as administrações públicas a obter informações confiáveis, precisas e tempestivas, construindo e modelando índices e indicadores para que os gestores públicos possam abdicar de decisões fundamentadas exclusivamente na intuição, tradição, "tino administrativo" ou opiniões pessoais. Produzimos modelos de indicadores que permitam integrar subjetividade e objetividade a partir de evidências empíricas, viabilizem comparações e avaliações consistentes, e, principalmente, criem condições para esclarecer e fornecer suporte às decisões e reavaliações.

Fornecemos assessoria completa para a definição de indicadores que sirvam como ferramenta de planejamento, de monitoramento e avaliação, de comparação e de projeção de cenários, tanto no nível da governança quanto nos níveis gerenciais e operacionais.

E-GOV

A Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) é, atualmente, um componente estratégico ao apoio e instrumentalização da operacionalização das políticas públicas para todos os níveis de governo.

O Governo Eletrônico é um fator decisivo na melhoria da qualidade dos serviços públicos de informação, atendimento ao cidadão e à sociedade em geral.

 

A elaboração de estratégias públicas para a área de TIC é importante ao passo que orienta a atuação dos órgãos públicos na formulação de políticas e de planejamento a fim de que não se pulverizem de forma desconexa nos órgãos e entidades por falta de uma estratégia específica, norteadora e homogeneizadora.

A experiência da F.F | e-Stratégia Pública® no tema de e-Gov permitiu desenvolver um conjunto de metodologias, indicadores e índices, todos próprios, testados e aplicáveis às áreas de Gestão e Avaliação do Setor Público:

 

IA E-GOV ÍNDICE DE ADERÊNCIA A GOVERNO ELETRÔNICO

IA e-Gov Índice de aderência a governo eletrônicoo IA E-Gov foi desenvolvido em um trabalho para a Corregedoria Geral da União, patrocinado pelo Governo Britânico. Ele parte da tese, segundo a qual, quanto maior o nível de desenvolvimento de e-Gov menor a chance de corrupção.

 

O IA e-Gov demonstra o grau de eficiência e eletronificação de qualquer processo inerente à Gestão Pública. Partimos do raciocínio de que quanto maior o número de atividades desnecessárias, que não agreguem valor e que sejam feitas de forma manual, maior será a chance de erros, desvios e práticas de corrupção. O IA e-Gov explora positivamente esse conceito: uma análise processual, clara e objetiva por meio de uma mensuração fundamentada por estágios de Governo Eletrônico.

 

MENSURAÇÃO DE MATURIDADE DE E-GOV

Esta metodologia de avaliação dos serviços eletrônicos aplicada a Administração Pública, proporciona um marco de referência com o intuito de avaliar a concretização dos objetivos buscados pelos órgãos públicos na implementação dos serviços de Governo Eletrônico. Ela é usada como base para o desenvolvimento da estratégia de migração dos serviços avaliados, que orienta a elevação do nível de desenvolvimento de e-serviços, com foco na Melhoria da Qualidade do Gasto Público, bem como a eficácia e eficiência de sua entrega.

Ponte Estaiada SP
Palácio do Supremo Tribunal Federal

CALCULADORA DA ECONOMIA

Calculadora da Economia® é uma importante ferramenta eletrônica de transparência. Através deste portal, são publicados os resultados obtidos na aplicação da Metodologia BINPS®.

O medidor é uma fórmula econômica dinâmica que ao se atualizar, fornece o valor da economia obtida pelos custos da inovação e endossa as vantagens geradas pela mudança, gerando desta forma, maior credibilidade em relação à aplicação de novas políticas públicas e em entidades interessadas na cooperação pelo objeto mensurado.

 

BENEFÍCIOS:
  • Transparência à sociedade das ações realizadas;

  • Demontração das reduções de custos provocados pela inserção de novas tecnologias;

  • Divulgação do volume financeiro trazidos pelas melhorias de processos;

  • Visibilidade dos benefícios alcançados pela Inovação Tecnológica.

Para maiores informações sobre esta ferramenta,acesse:

 www.calculadoradaeconomia.com.br 

DADOS ABERTOS

O paradigma de Dados Abertos está fundamentado na constatação de que o dado/informação, quando compartilhado abertamente, tem seu valor e seu uso potencializados.

Disponibilizar dados na Web não é uma prática recente no setor público, porém com uma Política de Dados Abertos, a Administração Pública demonstra a intenção de padronizar e alavancar a disseminação de dados públicos por todo sua estrutura administrativa. O paradigma de Dados Abertos está fundamentado na constatação de que o dado/informação, quando compartilhado abertamente, tem seu valor e seu uso potencializados.


Ações voltadas a este tema, demonstram o interresse da Administração Pública em desenvolver um ecossistema de dados e informações que beneficiam a sociedade e possibilitam o envolvimento de todos seus setores, inclusive a iniciativa privada e o setor acadêmico.

BENEFÍCIOS:
  • Aderência a Lei de Acesso à Informação (LAI), Lei n.° 12.527/2011 parágrafo 3° do artigo 8°, institui a obrigação da disponibilização de dados abertos através de serviços na internet.

  • Conformidade com a legislação pertinente,evitando indesejáveis problemas com o controle externo.

  • Aumento significativo da percepção da administração como transparente e aberta, com significativos ganhos políticos.

  • Publicação de dados abertos à sociedade de forma simplificada, rápida e de baixo custo.

  • Diagnosticar uma plataforma "repositório", essencial para o funcionamento efetivo da Lei de Acesso à Informação para o fornecimento de informações de interesse da sociedade.

  • Diminuir o gap existente entre o município, da arte das tecnologias e de gestão de conteúdo e o uso destas nas organizações públicas.

Teclado de Computador
Detalhes da ponte

GESTÃO DO PATRIMÔNIO PÚBLICO

A gestão do patrimônio público é um tema atual e pertinente frente as mudanças e adequações legais trazidas pelas Normas Brasileiras de Contabilidade Aplicada ao Setor Público -NBCASP.

A atividade de compras pode ser considerada como uma atividade meio, mas, ao observar que se pode interagir com uma nova Política de Gestão de Patrimônio Mobiliário, bem como agenda de desenvolvimento local, o objetivo muda!

Não se trata de reduzir custo por meio do menor preço e sim, diante de uma política de compras articuladora, realizar a melhor compra embasada em uma decisão dinâmica de agenda de governo. Neste contexto, são temas relevantes de análise: Locar ou Adquirir Ativos Mobiliários, Terceirizar Serviços ou Manter Estrutura interna, Centralização de Serviços Compartilhados ou Descentralização de Serviços de uso comuns.

Considerando tais circunstâncias, encontra-se uma ótima oportunidade para integrar os esforços na identificação de melhoria na qualidade dos gastos por meio das Contratações Públicas, atrelando as Informações trazidas do gerenciamento das contratações públicas de serviços e despesas de custeios derivados dos bens mobiliários. 

Neste sentido, o objetivo está em definir uma nova Política de Gestão do Patrimônio Público, considerando as questões que envolvem as Contratações Públicas, bem como as devidas recomendações para Aderência às Normas Brasileiras de Contabilidade aplicadas ao Setor Público – NBCASP relacionadas a Parte II – Procedimentos Contábeis Patrimoniais.

 

BENEFÍCIOS:
  • Aderência às Normas Brasileiras de Contabilidade aplicadas ao Setor Público-NBCASP;

  • Identificação de Melhoria na Qualidade dos Gastos relacionados ao Patrimônio Mobiliário;

  • Possibilidade de redução de despesa de custeio atrelado a manutenção dos bens mobiliários;

  • Aumento no controle interno formado por ambiente operacional, contábil e normativo;

  • Redução de risco de fraude e desvio de bens públicos;

  • Gerenciamento das contratações públicas de serviços e despesas de custeios derivadas dos Bens Mobiliários.

  • Manualização de Gestão do Patrimônio Público e de rotinas e procedimentos sobre à Gestão de Estoques e Materiais.

  • Atualização de inventário e reavaliação patrimonial, diretrizes, estratédias e evolução da readequação de novas regras patrimoniais.

CAPACITAÇÃO

O foco é apresentar um programa de formação aos profissionais inseridos no setor públicos considerando as melhores práticas internacionais, abrangendo temas pertinentes a melhoria da Gestão Pública Aplicada.

A F.F| e-Stratégia Pública® em seu grupo de serviços e produtos, tem como uma de suas vertentes a capacitação voltada a temas importantes relacionados à Administração Pública, tais como e-Gov, Dados Abertos, Melhoria na Qualidade do Gasto Público, Contratações Públicas Sustentável, Gestão do Patrimônio Público, dentre outros. 

OBJETIVO

Oferecer aos gestores, servidores públicos e profissionais da área uma visão sistêmica, moderna, atualizada e abrangente da área de compras públicas, aplicando conceitos e métodos que contribuam para a melhoria da qualidade da gestão do gasto público, em conformidade com os princípios constitucionais e legais.

PÚBLICO-ALVO

Prefeitos, Secretários, assessores, controladores internos e seus auxiliares, membros da Comissão de Licitação, pregoeiros, e membros de equipes de apoio; gerentes, gestores de contratos e demais agentes, públicos envolvidos direta ou indiretamente nos procedimentos de licitação e contratos da Administração Pública.

Profissionais de pequenas, médias e grandes empresas interessados em vender seus produtos/serviços para Administração Pública.

Empresário de terno